sábado, 14 de agosto de 2010

E lá vai uma.

Às vezes, chego a duvidar se o "amo-te" (a palavra tão ouvida) acarreta todos os sentimentos que em mim transporto. Não sei, mas é estranho como um simples e inofensivo vocábulo engloba uma imensidão de emoções que nos fazem sentir tão bem e não há nada melhor quando esta é dita convictamente com uma ponta de sinceridade. Por muitas sensações que já tive e tenho, admito que esta de amar alguém é a melhor, supera tudo. Viram estas palavras todas? Esqueçam, nenhuma delas chega aos calcanhares da palavra bonita:  "amo-te".


13 comentários:

  1. Não, o livro chama-se «Para Sempre, Talvez»
    Realmente devia ter posto o nome do livro :p

    ResponderEliminar
  2. Exacto, já coloquei no fundo do post :b

    ResponderEliminar
  3. Obrigada Nádia, mesmo, eu gosto da parte final do texto ;o
    e este texto que lindo ! Já se vulgarizou tanto a palavra, que agora é tão comum, mas apesar de tudo ainda há pessoas que conservam a capacidade de saber amar !

    ResponderEliminar
  4. Dever não tens, mas fico feliz por gostares :p

    ResponderEliminar
  5. Os 18 anos a mim não me faz diferença nenhuma!
    Gostaste? *-*

    ResponderEliminar
  6. Oh, sempre tão querida. Fico sempre com um sorriso quando dizes essas coisas :')

    ResponderEliminar
  7. E eu já tinha saudades dos teus elogios *-*

    ResponderEliminar
  8. Querias dizer expressivo :b
    Inventa uma palavra nova para conseguires exprimir o que sentes. É mais fácil.

    ResponderEliminar

Expressa-te.