terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Ser para parecer.


Escondo-me em fragmentos de alegria, elevo-me ao cume de sonhos, acompanhando o som da viola ao meu canto. Dispo-me me tristezas, centro-me em certezas onde é nelas que a verdade reside. Encaixo-me ao que tenho e dou um nó ao que prende e me torna feliz sem esquecer das tristezas que me assombram à noite. Essas ditam muito do que sou e é nelas que encontro o caminho a seguir, pedra por pedra constrói-o aquilo que tu chamas de castelo.
(meras palavras que sustentam só por si)

3 comentários:

  1. Sim claro, mas como hoje na aula fui á net e não consegui comentar este blog, tentei no outro..

    ResponderEliminar
  2. não faço ideia mas não estava a conseguir ^:x

    ResponderEliminar

Expressa-te.