sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Da fra(n)queza.

Para ser franca, coisa que costumo ser, acho que nos tempos de hoje existem poucos amigos, melhor: é difícil ser amigo. Eu vejo por mim a quantidade de vezes que penso quando alguém no meu círculo de amigos (conhecidos) está menos bem; e penso na maneira como hei-de enfrentar o problema dele, como hei-de transmitir-lhe a minha confiança (o que, muitas vezes, nem sempre está presente). A tarefa mais árdua aqui é pormo-nos no lugar do outro, melhor: «como é que eu me sentiria?». Faz toda a diferença. Assim, creio, que será menos complicado o tratamento prestado ao outro. Essencialmente, antes de tudo, devemos ser nós. Pôr nas palavras e acções tudo o que somos, transbordar a nossa essência ao outro.



Por muito que seja difícil para ti (/mim), eu acompanho-te nessa luta. Como diz a minha mãe: “há-des ser sempre burra e seguir sempre o teu coração”. Assim seja.

18 comentários:

  1. Obrigada querida, vê se já está melhor. :)

    ResponderEliminar
  2. Não tem a ver com a própria escrita dos nomes querida. Era um simbolismo, uma hiperbolização deste meu amor que por o achar tão grande e maravilhoso sobreviveria, a esse teste e enorme diferença, como uma coisa perfeitamente igual: escrever e soletrar artes tão distantes como se os nossos nomes possuissem sinfonias iguais.

    :)

    ResponderEliminar
  3. deste-me mais alento do que qualquer pessoa me poderia dar. palavras simples, directas e acarretadas de coragem e esperança. muito obrigada querida :)

    ResponderEliminar
  4. sabes, costumo dizer que amigos ? os que tenho conto pelos dedos e sei com quais posso contar e todos eles sabem que em qualquer momento mesmo eu estando mal, faço de tudo para os ver felizes !
    essa esperança em mim já não existe, não me arrependo de nada, mas foi o melhor.

    ResponderEliminar
  5. Como é difícil.. Bolas!
    É que só a parte de sermos nós próprios pode ser bastante complicada.. É difícil deixar "máscaras" lado, e outras vezes nem sequer sabemos se estamos a ser nós próprios ou se estamos com alguma "máscara" :/

    Gostei do post :)

    ResponderEliminar
  6. Às vezes distraio-me, mas muito obrigada :)

    ResponderEliminar
  7. Mariana, eu não tinha percebido. Desculpa, então. Mesmo assim, achei um amor aquele post. É bom ver assim amores, é bom haver pessoas a amarem-se assim. *

    Inês, tudo o que eu digo vem de mim e nada do que digo é menos sincero. Farei tudo para que estas pessoas que vêm o meu espaço, e que muitas vezes não estão bem, recebam as minhas palavras de conforto. Não tens mesmo nada que agradecer, farei o meu melhor. Estou aqui, claro.

    Simple Writer, é mesmo isso. Hoje em dia, existem poucos amigos e ser "amigo" não é estar connosco nos momentos felizes onde tudo está muito bem e também ser "amigo" não é dizer-nos as coisas bonitas só porque sim. Ser "amigo" é estar no outro lado e sofrer o que sofre o outro, é dar-se, dando-se mais. Eu também sou assim: primeiro estão os outros e depois é que estou eu. Mas este outro de que falo é uma pessoa muita importa para mim, a pessoa que amo, que está a passar um momento menos bom e eu só tenho que estar aqui.

    Rute Maia, obrigada por tudo :)

    Simone Lopes, é isso tudo. Cada vez mais, as pessoas usam máscaras para cobrirem as suas fragilidades, mas há sempre um dia que essa mesma máscara cai e tudo se revela. E muitas vezes não é nada bom. Obrigada pela tua opinião e pelo teu olhar perante o meu blog. :)

    Anne e Tânia Monteiro... :) obrigada eu, sempre *

    ResponderEliminar
  8. Acredita minha querida que não tens que agradecer. Foi e está a ser um prazer «ler-te». Já sabes que estarei atenta agora :b

    ResponderEliminar
  9. faço das tuas palavras as minhas, qualquer problema que tenhas não hesites. podemos não nos conhecer, mas as pessoas dos blog's conhecem-se interiormente, geralmente apresentam os mesmos problemas, (o amor) e dessa forma revejo-me em ti :) obrigada, mesmo!

    ResponderEliminar
  10. então por essa pessoa que amamos é que apoiamos sempre, mesmo que estejamos também mal, damos-lhe as forças de todos os mundos só para a ver bem e feliz . sei tao bem o que isso é :)

    ResponderEliminar
  11. Rute Maia, obrigada pela disponibilidade e pela simpatia prestada ao meu blog e também à minha pessoa :)

    Inês, obrigada pela tua simpatia e sabes que eu estarei aqui pronta a ouvir-te, ler-te e sobretudo ajudar-te a cada medo, desilusão ou dor que tenhas. Mantém-te firme, porque nós somos fortes. Não duvides disso. Beijinho*

    Simple Writer, é bom saber que existem pessoas a perceberem a nossa angústia, a passar pelo mesmo que nós. A dor, assim, diminui, creio. É mesmo isso que dizeste; sou feita de coração mesmo.*

    ResponderEliminar
  12. acho que todas nós somos feitas um pouco de coração :) mas sabes, apesar de tudo, sou feita mais racionalmente do que de sentimentos. penso demais.

    ResponderEliminar
  13. e eu que o diga, por vezes pensar é tao mau, começam os filmes e depois começamos a ficar inseguros e matutamos aquilo sem fundamento algum :s e começa a destruir-nos por dentro

    ResponderEliminar
  14. e digo o mesmo! estou aqui para te ouvir sempre. caso queiras o meu número de telemóvel ou o mail diz ;)

    ResponderEliminar

Expressa-te.